linha.png

É comum falarmos que tal livro/filme contém gatilhos, mas o que estamos querendo dizer com isso? O que é um gatilho emocional? Será que podemos definir aquilo que é ou não um gatilho?

 

Vou explicar, quando fazemos alusão aos tais gatilhos, na verdade estamos falando de CONTEÚDOS SENSÍVEIS, ou seja, assuntos que tendem a provocar respostas emocionais de raiva, repulsa, ódio, indignação, revolta, impotência e angústia (dentre outras), tais como estupro, suicídio, morte, pedofilia, depressão, violência, assassinato, drogadição, relacionamentos abusivos e disfuncionais.

 

O que acontece é que pela natureza destes temas muitas vezes eles tendem a acionar gatilhos emocionais. Então o que os difere?

 

Como toda experiência emocional, os GATILHOS SÃO DE ORDEM SUBJETIVA, portanto não dá para delimitá-los aos conteúdos sensíveis. O que quero dizer com isso? Não é o evento em si que aciona os gatilhos, alguém que foi vítima de abuso sexual pode ler uma cena com essa conotação sem que isso a faça reviver/rememorar o que lhe ocorreu, e de repente estar lendo uma cena onde é mencionado o hálito mentolado ou de cigarro do protagonista e este detalhe acionar estas memórias, porque corresponde a uma característica do abusador.

 

A verdade é que todo livro pode conter gatilhos emocionais, independente do gênero ou dos temas abordados. Apelidos como gata e princesa são gatilhos emocionais para mim, sempre que estou lendo e os mocinhos os usam, automaticamente os substituo pelos nomes das mocinhas, porque na minha história de vida estes termos têm conotação pejorativa.

 

Não se trata de uma questão de certo ou errado, mas de compreender sobre o que estamos falando, até para entendermos o porquê um livro que para você tem um apelo emocional grande não desperta os meus sentimentos no outro. Eu fico extremamente emocionada em livros onde há diálogos entre pai e filha, se tiver a morte dele então... lágrimas vão rolar com certeza, haha... Porque é um gatilho pra mim, sempre tive uma relação de muita proximidade afetiva com meu pai e, invariavelmente, me vejo revivendo esta perda.

 

Vou dar outro exemplo, embora Rafani seja o meu livro (dentre todos) que contém o maior número de conteúdos sensíveis, é a Duologia Contando Estrelas a história que mais disparou gatilhos emocionais, porque muitas leitoras se identificaram com o drama das mocinhas, porque a gente tem uma carência gigantesca de discursos que digam que a maternidade não é cor de rosa, como tentam nos fazer acreditar desde crianças, ela pode ser sombria, sofrida e dolorosa, e tudo bem se você tiver sentimentos que socialmente não são esperados de uma mãe, porque por mais louco que pareça a gente continua sendo mulher depois da maternidade, continuamos sendo sujeitos, e como tal precisamos firmar nossa individuação, o que parece quase impossível quando todos os olhares estão naquela pequena vida que você trouxe ao mundo. Associação livre é um caminho sem volta, mas parei por aqui, haha...

 

Então assim, gatilhos emocionais e conteúdos sensíveis têm conceitos distintos, e embora possam estar relacionados, não é uma prerrogativa, porque o tal do gatilho pode ser uma cor, um nome, um cheiro, um ruído, um gesto, qualquer coisa. 

Sinéia Rangel
linha.png